Melatonina Mitos e Verdades!

O nosso organismo é regulado principalmente pelos hormônios, que são responsáveis pelo crescimento dos cabelos, músculos, beleza da pele, sensação de bem estar e até mesmo na hora de dormir. O hormônio responsável pelo sono se chama melatonina, saiba tudo os mitos e verdades neste super artigo.


Esse hormônio é responsável não só pela regulação do sono, como também pelos períodos em que ficamos acordados. Sendo assim, ele tem como objetivo nos manter acordados e dormindo nos períodos certos. Porém, quando esse hormônio está desregulado o indivíduo passa a ter problemas de insônia.


Devido ao fato de fazer com que tenhamos sono, muitas indústrias farmacêuticas estão produzindo esse hormônio como indicação para pessoas que sofrem com problemas de insônia e querem dormir melhor. E se você sofre com esse problema, descubra se a melatonina pode ajudá-lo e veja nosso guia de mitos e verdades sobre a melatonina e não se esqueça procure um médico especialista.

Melatonina Mito e verdades

Qual é a função da melatonina no corpo?

Além de regular o sono, a melatonina também é responsável pelo controle dos hormônios sexuais femininos, além de ter um efeito antioxidante nas células.

O hormônio também regula o sistema imunológico e desempenha muitas outras funções.

As principais dicas de tratamento com o hormônio estão relacionadas não somente à insônia como também, tratamentos de menopausa, câncer de mama e próstata bem como, fibromialgia.

Contudo, a produção desse hormônio pelo próprio organismo diminui com o passar do tempo, principalmente devido à exposição de estímulos luminosos e visuais.

Outro fator que é bastante comum, é a deficiência que algumas pessoas tem de produzir esse hormônio de maneira natural.

Produzido na glândula pineal, o hormônio tende a ser produzido ao anoitecer de modo a fazer com que em determinado momento tenhamos sono.

O nível máximo de sua produção se dá exatamente no momento em que estamos dormindo.

Além disso, a maioria dos órgãos são receptores do hormônio e existem estudos ainda inconclusivos de sua atuação diversifica no organismo.

LEIA MAIS: 7 dicas para dormir bem

LEIA MAIS: Como escolher colchões em lojas de rua

O que a falta de melatonina no corpo pode causar

A falta de melatonina no corpo pode causar diversos problemas, como o envelhecimento precoce e é claro, a insônia.

Indivíduos que sofrem com a insônia crônica tendem a desenvolver distúrbios psicológicos e doenças físicas.

Assim, estudos científicos apontam que a falta de melatonina no corpo, que é produzida justamente no ápice do sono, tende a gerar estresse, ansiedade, irritabilidade e baixa produtividade.

Além disso, a falta de sono influencia diretamente no metabolismo do açúcar, fazendo assim, com que ele não funcione de maneira adequada e o indivíduo tenha mais predisposição a desenvolver o diabetes tipo 2.

Outro fato é que quem sofre de insônia, tende a ser mais propenso ao desenvolvimento de pressão alta além de que pesquisas recentes mostraram que pessoas que produzem menos melatonina tendem a ter um risco maior de desenvolverem depressão.

A queda da memória, capacidade de julgamento e aprendizado, criatividade e atenção também são consequências de noites mal dormidas.

Portanto, a qualidade de vida está diretamente ligada à qualidade do sono. Sendo assim, uma das principais dicas para quem deseja dormir melhor é investir na melatonina como forma de acabar com o problema.

Sobre o suplemento melatonina

Para quem deseja tratar da insônia a melatonina pode ser uma solução bastante indicada. Contudo, o suplemento e a forma de uso devem ser indicados pelo médico. Desse modo, uma avaliação médica se torna um elementos imprescindível para se obter o medicamento.

É válido ressaltar que a melatonina contudo, não induz ao sono, mas faz com que melhore a sua qualidade sendo necessário encontrar outros métodos para ter sono, como a meditação, que já foi citada aqui.

As doses de melatonina vão variar entre 1 mg e 5 mg de acordo com o que o médico acreditar ser melhor para o paciente.

O tratamento é comumente iniciado com doses baixas e com o passar do tempo a quantidade das doses de melatonina tendem a aumentar.

De tempos em tempos, acontece um boom na mídia, que começa a divulgar medicamentos milagrosos e capazes de melhorar diversas doenças. Foi o caso da melatonina sintética, utilizada para o tratamento de insônia e outros distúrbios do sono.

Mesmo que você sofra com esse tipo de problema, é preciso tomar cuidado, pois nem toda informação disponível na internet é verdadeira.

melatonina dicas verdades

Veja a seguir mitos e verdades sobre a melatonina.

1.    O corpo produz melatonina naturalmente

Verdade. O cérebro produz melatonina durante o sono pela glândula pineal. Assim, a melatonina consegue equilibrar os batimentos cardíacos e a pressão arterial, impulsionar a produção do hormînio do crescimento, cuidar de tecidos e músculos, ajudar a liberar radicais livres e relaxar as retinas.

O conjunto de todas essas coisas resulta em uma boa noite de sono, que pode ser desfrutada por pessoas que produzem um bom nível de melatonina.

Alguns fatores externos podem prejudicar esse nível de produção, como estresse, má alimentação, falta de exercícios físicos e muita exposição a luzes artificiais.

Quando o corpo não produz melatonina suficiente, a insônia e outros distúrbios do sono começam a aparecer.

2.    Esse tipo de hormônio é mais produzido na parte da noite

Verdade. Fechar os olhos, o cair da noite e a diminuição ou ausência de luz ajudam na produção da melatonina.

Por isso, gostamos de dormir com pouca ou nenhuma luz acesa. Isso influencia na nossa noite de sono e na reparação das células do corpo.

3.    Qualquer pessoa pode consumir melatonina sintética

Mito. O hormônio sintético é recomendado para pessoas que sofrem de insônia, pois, assim como a melatonina natural, o medicamento também regula o sono e dá disposição durante o dia.

Pessoas que costumam fazer muitas viagens internacionais também podem consumir melatonina sintética durante esse período.

Essa exceção a regra é liberada por causa do jet lag, que têm efeitos mais severos em algumas pessoas. O remédio auxilia na adaptação do fuso horário local

4.    O consumo do hormônio não causa efeitos colaterais

Mito. O consumo excessivo pode causar uma série de problemas, como dores de cabeça, fadiga, confusão mental, sonolência de manhã, irritabilidade e modificação na produção de outros hormônios essenciais para o funcionamento do corpo.

Também é comum que alguns pacientes relatem o aumento de sonhos durante a noite. Crianças são mais propensas a terem pesadelos, o que pode ter o efeito contrário na qualidade do sono.

Aqui, deixamos um alerta: nunca tome medicamentos sem prescrição médica.

5.    Existem várias versões de melatonina sintética

Verdade. A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) permitiu o comércio de melatonina sintética em comprimidos, gotas, cápsulas e spray nasal.

Quem irá indicar a melhor versão para o seu problema é um médico especializado. Ele saberá qual tipo é mais indicado para você, qual horário é melhor tomar e a quantidade de vezes ao dia, com base no seu diagnóstico e estilo de vida.

6.    A melatonina é eficaz em outras doenças, além da insônia e distúrbios do sono

Mito. A ciência ainda não conseguiu provar a eficácia da melatonina sintética no tratamento de outras doenças.

Ou seja, se você pegar uma receita de melatonina para tratar qualquer outro problema que não esteja relacionado ao sono, tome muito cuidado na internet esta cheio de soluções milagrosas, procurar um especialista é o melhor caminho.

Esse é um tema muito importante e que precisa ser discutido. Se você gostou do nosso conteúdo, compartilhe o link com seus amigos e familiares. Assim, eles estarão tão bem informados quanto você.

Leia mais: Tipos de colchões

Leia mais: Bed in a Box os colchões na caixa

Curta nosso facebook: facebook.com/dicasdecolchoes

Sobre o autor Marcelo | Website

Marcelo Katayama fundador do site. Atua como consultor de marketing digital para pequenas empresas de forma autônoma e atua com marketing de afiliados. Trabalhou 10 anos no mercado de colchões como vendedor, gerente comercial de lojas e analista de marketing em lojas multimarcas e lojas com direitos de uso das marcas Castor, Ortobom. Atuou em agências como FBS Midia e Grupo RBS como executivo de contas e foi Gerente de Relações Públicas no Grupo Colombiano JOM. Formado em analise de sistemas pela FATEC-SP e especialização Google Ads Expert Search pela Goobec Brasil.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Seja o primeiro a comentar!